Itinerário Resumido  

 

 

1° Dia – Chegada a Ulaan Baatar

 

2° Dia – Voo de Ulaan Baatar a Ulgi

 

3° Dia – Naadam em Ulgi

 

4° Dia – Viagem para o início do trekking

 

5° Dia - Primeiro dia de trekking

 

6° Dia - Segundo dia de trekking

 

7° Dia – Terceiro dia de trekking

 

8° Dia - Quarto dia de trekking

 

9° Dia - Quinto dia de trekking

 

10° Dia - Sexto dia de trekking e chegada no campo base

 

11° Dia – Sétimo dia de trekking e subida do Malchin

 

12° Dia – Oitavo dia de trekking e viagem de 4 horas

 

13° Dia – Viagem de volta a Ulgi

 

14° Dia – Voo Ulgi – Ulaan Baatar

 

15° Dia – Voo internacional

 

 

Itinerário Detalhado

 

1° Dia – Chegada a Ulaan Baatar, a capital da Mongólia. Na chegada traslado ao hotel. Restante do dia livre. Sugerimos visitar o Museu Nacional onde se pode aprender sobre a longa história da Mongólia com ênfase no Período de maior grandeza, nos reinados de Gengis Kan, seu filho Ogedei Kan e seu neto Kublai Kan.

 

2° Dia – Pela manhã bem cedo traslado ao aeroporto e voo de 1600 quilômetros e três horas a Ulgi, a capital do estado mais a noroeste do país. Restante do dia livre para conhecer Ulgi com seu interessante mercado central onde as fisionomias de diversas etnias da Ásia Central se misturam. Também conheceremos o interessante museo da cidade. Aqui já não estamos entre mongóis budistas e sim Kazaks muçulmanos que emigraram para esta região. 

           

 

3° Dia – Hoje assistiremos ao maior festival do país, o Naadam, a chamada olimpíada das estepes onde são feitas corridas de cavalo, lutas livres e competições de arco e flecha. Cada modalidade apresenta suas peculiaridades. A corrida de cavalos é disputada em grandes distâncias chegando a 25 km e seus jóqueis são meninos de 5 a 9 anos. É o mais prestigioso dos três esportes.  Luta livre é o único esporte exclusivamente masculino e os lutadores são extremamente fortes porém, assim como no sumo, gordos. Usam uma roupa tradicional bem peculiar com uma bota de couro dupla, um pequeno shorts e uma mini blusa aberta na frente. Já o arco e flecha é pura precisão e elegância com os competidores, homens e mulheres, usando suas melhores roupas tradicionais. Apesar de turístico o Naadam é uma festividade local e a enorme parte dos espectadores é local e em Ulgi teremos a oportunidade de ver um Naadam menor e mais autêntico.

 

4° Dia – Enquanto tomamos café da manhã nosso representante organizará as nossas autorizações para entrada no parque nacional Altai Tavanbogd e estaremos prontos para partir rumo ao início de nosso trekking. A viagem de 200 km levará ao redor de 7 horas por uma estrada de terra bastante precária, mas com lindas vistas das montanhas e do rio de águas brancas que acompanharemos. Acamparemos a margem do rio. 

 

5° Dia - A partir de hoje acompanhados de nossos guias locais, cozinheira, camelos báctrios de carga e seus cuidadores iniciaremos nosso trekking seguindo uma sucessão de lindos lagos glaciares que refletem as montanhas nevadas ao nosso redor. Passaremos por rebanhos de yaks, bovino de altitude e possivelmente gers, barracas de famílias nômades. Caminhada de 6 horas de duração. A caminhada hoje será basicamente plana com altitude de 2150 metros. Acamparemos na beira do lago.

 

6° Dia – Hoje continuaremos contornando os lagos encontrando famílias nômades de descendência do Kazaquistão, muçulmanas que poderemos visitar. Com certeza seremos recebidos com uma mesa posta com queijos locais, iogurte, bolachas feitas em casa e o tradicional chá com sal. Também poderemos provar a bebida nacional, o Airag, leite de égua fermentado.

Nossa caminhada será de ao redor de oito horas, mas sempre plana com suaves subidas e descidas. Acampamento ao lado de um rio de águas brancas a 2160 metros.

7° Dia – Hoje deixamos a região plana dos lagos e teremos mais subidas e descidas e uma grande variedade de paisagens. Iniciaremos com a travessia de uma linda floresta temperada que nos levará a um outro vale coberto de flores silvestres. Após duas horas de caminhada chegaremos as margens de um maravilhoso lago encravado nas montanhas e cercado de florestas. Apesar de subirmos e descermos bastante acamparemos basicamente na mesma altitude dos dias anteriores após aproximadamente 5 horas de caminhada. Como o dia será mais curto poderemos descansar a tarde para o próximo dia que será o mais longo e mais duro do trekking.

 

8° Dia – Começaremos nosso dia com uma subida gradual de 200 metros até chegarmos ao fim do vale quando viraremos ao norte e subiremos outros 400 metros, desta vez de maneira bem mais íngreme. Após cinco horas de subida chegaremos no passo a 3200 metros de onde teremos uma linda vista das montanhas tanto ao sul, de onde viemos, quanto ao norte, nosso destino. Na descida, olhando em direção ao passo, veremos lindos paredões de gelo cobrindo toda a face sul das montanhas. Após o almoço descida de 450 metros até chegarmos a um lindo platô normalmente habitado por nômades da etnia Tui que habitam tanto esta região como o Altai russo. Ao contrario dos kazaks que são muçulmanos os Tui são budistas. Acamparemos próximo ao rio a 2700 metros de altitude.

 

9° Dia – Hoje, para descansar dos esforços do dia anterior teremos um dia leve e curto. De nosso acampamento seguiremos primeiro em direção norte e depois em direção oeste perdendo altitude até chegarmos no vale onde se encontra a entrada norte do parque nacional. No caminho teremos de cruzar vários rios onde possivelmente termos de tirar as botas e enfrentar as águas frias de degelo. Acampamento a margem do rio a 2700 metros.

 

10° Dia – Mais uma vez teremos um dia leve e curto. Sairemos do vale e gradualmente subiremos em direção ao campo base do Malchin e Khuiten. Conforme formos subindo mais a mais montanhas nevadas aparecerão a nossa frente até, apos 5 horas de caminhada chegarmos ao nosso campo base a 3100 metros de altitude. O cenário não poderia ser mais espetacular. Estamos ao lado da morena lateral do maior glaciar da Mongólia e cercado das maiores montanhas do país.

 

11° Dia – Hoje faremos a subida do Malchin, uma linda montanha com 4100 metros de altitude que se situa diretamente a frente de nosso acampamento. A subida é feita por uma trilha de terra um pouco escorregadia até chegarmos a um colo a 3900 metros. A partir daí existe a possibilidade de seguirmos pela neve (dependendo de como foi o inverno) até o cume duzentos metros acima. A vista do cume é espetacular avistando-se os 3 países fronteiriços. Do lado chinês um longo e árido platô. Do lado mongol montanhas de altitude média e do lado siberiano uma grande sucessão de montanhas nevadas. A subida deverá levar ao redor de 6 horas e a descida ao redor de 3 horas, um longo dia, porém plenamente recompensado pelas lindas vistas que teremos.

 

12° Dia – Cumpridos nossos objetivos hoje com calma faremos a descida de volta a entrada do parque onde nos esperam nossos veículos para a viagem de volta a Ulgi. Hoje percorreremos ao redor de metade do caminho a Ulgi e teremos o oportunidade de acampar próximo a uma família de nômades Kazaks que treinam águias para a caça no inverno.

 

13° Dia – Viagem de três horas de duração de volta a Ulgi. Acomodação em um hotel.

 

14° Dia – Pela manhã traslado ao aeroporto para voo de volta a Ulaan Baatar. Na chegada traslado ao hotel. Restante do dia livre.

Sugerimos visitar o Museu de História Natural com exposições de fauna e flora inclusive os famosos fósseis de dinossauros encontrados no início do século 20 no Gobi. Também recomendamos assistir ao show de música e dança tradicionais que acontece todas as tardes às 18 horas. Destaque para o famoso Throat Singing e a incrível contorcionista.

 

15° Dia – Traslado ao aeroporto para viagem internacional.

 

 

 

 

 

EXTENSÃO BEIJING

 

 

1° Dia – Chegada a Beijing (China). Restante do dia livre. Traslado não incluído.

 

 

2° Dia – Hoje conheceremos dois dos mais importantes monumentos de toda a China, a Cidade Proibida e o Templo do Paraíso. A Cidade Proibida foi construída durante a dinastia Ming e levou 15 anos para sua compleição sendo usados ao redor de um milhão de trabalhadores. É a maior estrutura em madeira do planeta e tem quase mil prédios e nove mil quartos. Mas, mais do que números o que impressiona é sua elegância e beleza arquitetônica. Além dos inúmeros palácios a Cidade Proibida abriga uma das maiores coleções de arte do planeta com bronzes, cerâmicas, pinturas e até uma rara coleção de relógios dos séculos 18 e 19. De dentro dela a China foi governada por duas dinastias por um período de 500 anos. Após o almoço seguiremos para outra joia da dinastia Ming, o tempo do Paraíso, uma das construções mais elegantes da cidade no meio a um lindo parque. Neste templo os imperadores faziam sacrifícios para os deuses para terem boas colheitas.

 

 

3° Dia – Pela manhã bem cedo partiremos para uma viagem de 2 horas e meia até um dos setores mais espetaculares da Grande Muralha da China. Em seu total a muralha chegou a medir 9.000 km e foi construída durante mais de 1000 anos com o objetivo de deter as invasões de povos nômades do norte. A parte da muralha que vamos visitar chamada de Jinshanling foi construída durante a dinastia Ming no início do século 15 e das seções próximas a Beijing é a mais íngreme  e de cenário mais espetacular se estendendo de forma serpenteante pela crista das montanhas até se perder nas brumas. Para subir e descer até a muralha usaremos um teleférico e caminharemos ao redor de 10 quilômetros por ela. Após o almoço retornaremos a Beijing. 

 

4° Dia - Pela manhã traslado ao aeroporto para voo a Ullanbaatar.

 

Acompanhamento de Manoel Morgado, Katherine Gonzales e de guia local em português